9 de dezembro de 2010

Quadrilha misturava soda cáustica em leite


Jandaia/Goiás Policiais civis de Rio Verde, sudoeste do Estado, e do Grupo de Repressão a Narcóticos (Genarc) de Iporá prenderam nesta quarta-feira (08), 15 pessoas durante a Operação Longa Vida, que investiga a adulteração de leite na cidade de Jandaia, oeste do Estado, a 125 km de Goiânia.
Foram cumpridos três mandados de prisão preventiva e nove mandados de prisão temporária em Jadaia e ainda mais três mandados de prisão temporária em Bela Vista de Goiás (região metropolitana da Capital). Quatro pessoas permanecem foragidas. O delegado de Polícia Danillo Fabiano Carvalho e Oliveira, que investiga o caso, disse que não descarta a participação de mais pessoas e que a investigação, iniciada há dois meses, será feita agora em todo o Estado.
O esquema de adulteração, de acordo com o delegado, funcionava com ajuda de motoristas de caminhões, que buscavam leite em propriedades rurais e paravam durante o trajeto para que parte da carga fosse retirada. Depois, para manter o volume após o desvio de leite, os criminosos usavam produtos como soda cáustica e água oxigenada, que eram misturadas à carga que seguia para os laticínios. Estima-se que mais de dois milhões de litros de leite tenham sido adulterados pela quadrilha, que levava o produto adulterado para laticínios que revendiam para Goiás e São Paulo.
O chefe do grupo criminoso seria Joel Moreira, dono do Laticínio Moreira, em Jandaia. Ele foi preso juntamente com um irmão e a cunhada, que também chefiariam a quadrilha. Durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão e de prisão, a polícia constatou o péssimo estado dos locais no laticínio onde era armazenado o leite e fabricado os queijos. O local, além de sujo, era infestado de moscas e mosquitos, além de baratas passeando entre os produtos.
Uma carga de queixo contendo três mil peças que estava sendo transportada irregularmente para São Paulo foi interceptada e apreendida. Um motorista de caminhão, que misturava água e soro ao leite, foi preso em flagrante.  Segundo o delegado Danilo Fabiano, com as prisões foi encerrada a primeira fase da operação. Agora a polícia, juntamente com a Vigilância Sanitária, pretende verificar a existência de outros casos. (DM Online com adaptações)fonte: routenews.com.br
--- ---