20 de fevereiro de 2011

Eliziane pede providências sobre desaparecimento de adolescente

Da assesoria da deputada 

Deputada  Eliziane Gama
A deputada Eliziane Gama (PPS) recebeu, na manhã desta quarta-feira (16), conselheiros tutelares e familiares da adolescente da cidade de São João Batista, Karolainny Costa Azevedo, 13 anos de idade, que desapareceu em agosto de 2010.
Karolainny Costa Azevedo
No plenário da Assembleia Legislativa a parlamentar pediu providências por parte da Secretaria de Segurança Pública, pois, segundo informações da família, as investigações estão paradas. Um dos motivos para tanto seria a falta de estrutura, como por exemplo, ausência de veículo e combustível para realizar as diligências.
“Recebi em meu gabinete Conselheiros Tutelares da cidade de São João Batista, com a informação sobre uma garota de 13 anos de idade, que já está desaparecida a mais de seis meses, e não há nenhuma pista. Um dos pontos que foi elencado pelos familiares da garota, é que eles estão mantendo até estruturalmente para que a investigações possam acontecer”, denunciou Eliziane Gama.
No mês de janeiro, em nota a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que as investigações para elucidar o desaparecimento de Karolinne Costa Azevedo estavam em curso e que o inquérito policial instaurado para apurar as circunstâncias estava sob responsabilidade do delegado Armando Gomes Pacheco de São João Batista.
Depois de informada sobre o caso, a deputada pediu informações para a juíza da cidade que através de ofício informou que o inquérito foi devolvido para o delegado responsável para que sejam cumpridas novas diligências.
Eliziane Gama encaminhou para a Companhia Energética do Maranhão (Cemar) um pedido para que a foto da adolescente seja colocada na conta de luz para colaborar com as investigações do caso. A deputada apresentará indicação para a Secretaria de Segurança pública pedindo esclarecimentos sobre o andamento e providências tomadas no inquérito policial. Ela também encaminhará comunicação para a Comissão de Direitos Humanos da OAB, Conselho de Direito da Criança e do Adolescente e Conselho Nacional de Direitos Humanos.
“Quero pedir que as autoridades competentes, especialmente a Secretaria Estadual de Segurança Pública, possam dar minimamente as condições de funcionamento naquela Delegacia”, finalizou.
--- ---