Um mundo em nossas mãos! Será?


 
Quando criança, temos em mente que poderemos ter o mundo em nossas mãos! Pois observamos o mundo de outra forma, sem desigualdade, sem miséria, sem fome e sem maldades.
 
    Isso me faz lembrar minha infância. Pobre, mas feliz na minha pacata e hospitaleira cidade de Buritirana - MA, onde nasci, e fui criado, onde também comecei a dar os primeiros passos, em busca de um mundo que eu sonhava.

  Saí muito jovem da minha Buritirana, almejando uma realização profissional e pessoal, não só para mim, mas também para meus compatriotas. Porém nessa minha partida tive vitórias e derrotas. Quem nunca teve uma derrota?
  E hoje posso assegurar que  são as nossas derrotas que nos ensinam o caminho para as vitórias!

Você leitor concorda comigo?
 
  Meu mundo era limitado àquela cidade. Eu tinha muitos sonhos e metas a realizar. Hoje morador e residente de outra cidade, um pouco distante da minha pequena cidade natal, percebo que poucas coisas foram concretizadas, e talvez jamais possa atingir meus anseios, embora eu seja consciente de que todos nós somos produto do meio em que vivemos.

   A busca pelos meus ideias fez-me sair daquela cidade, ainda muito jovem restando-me atualmente apenas às boas lembranças dos amigos de infância, das brincadeiras sem maldades, dos banhos nas “Grotas”, e nos açudes de águas “Barrentas”, das passarinhadas com “Bailadeiras” de liga de soro. Tempos bons!
Ah!  Tempos que não voltam mais.

   Parto do principio de que nada acontece por acaso, entendo eu, que tudo na vida faz sentido! Que tudo se tem um preço a pagar! E que só  Deus, com sua infinita sabedoria, é capaz de nos mostrar os verdadeiros caminhos para que possamos alcançar a vitória tão esperada.

  No momento sinto-me uma pessoa vitoriosa, vitórias essas obtidas pelo meu próprio esforço, contudo no auge da minha ignorância e da minha fraqueza deixei muitas oportunidades escaparem, ainda assim não desisto fácil dos meus objetivos, afinal, sou brasileiro e acima de tudo adepto a famosa frase: Lutar sempre, desistir jamais. Por isso não desisto nunca.
 
  Se hoje alguém me perguntasse: você e uma pessoa feliz? Eu diria que sim, muito feliz, pois tenho uma vida dada por Deus, duas (02) filhas maravilhosas, mãe, pai, irmãos, sobrinhos, uma linda mulher que me ama, e me aceita do jeito que sou, poucos, mas sinceros amigos, muita saúde e acima de tudo, Deus no coração e na mente.
 
  Com isso aprendi que um sonho não realizado, às vezes nos causa frustração, e diante disso cabe a nós, seres humanos, sociais e históricos seguir em frente rumo a novas conquistas.
 
  Portanto, cheguei a uma conclusão que o mundo de uma criança, não passa de uma utopia, não passa de uma ficção,e que com o nosso crescimento interior passamos a compreender e ver aquele mundo que um dia pensei existir, como um mundo imaginário, mundo aquele que hoje mais que nunca sou convicto de que tudo era fruto da minha imaginação, porque infelizmente

  Nos deparamos com uma realidade completamente oposta àquela que idealizamos: O mundo da inveja, em que o mal predomina o BEM. Finalizo atribuindo todo o mal da sociedade ao sistema capitalista. Precisamos de outro sistema, o capitalismo já adoeceu demais a sociedade.

Autor: Nilton Cezar
Correção e adaptação
Profª. Graça Gouvea
Tecnologia do Blogger.