12 de junho de 2012

Caso Decio Sá: Homem suspeito de participar de morte de jornalista é assassinado!

DO G1
Um dos suspeitos de participação na morte do jornalista Décio Sá foi assassinado na noite desta terça-feira (12), na Vila Pirâmide, na Raposa. Valdênio José da Silva foi preso, dias após a execução do jornalista, por suspeita de ajudar na fuga do assassino. Ele ficou detido por trinta dias e foi liberado em seguida.



Valdênio estava em casa quando um homem efetuou cinco disparos por uma janela entreaberta da residência. A vítima estava ao lado da esposa no momento do assassinato. Valdênio foi apontado como um dos envolvidos na morte do jornalista Décio Sá através do Disque-Denúncia.

Em nota a Secretaria de Segurança Pública informou que as investigações sobre a morte de Valdênio José da Silva já foram iniciadas. Veja abaixo a nota na íntegra:

"A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), por meio da Polícia Civil do Maranhão, informa que já foram iniciadas as investigações sobre o assassinato de Valdênio José da Silva, 38 anos. O crime ocorreu na noite da última segunda-feira (11), na Vila Pirâmide, em Raposa, por volta das 23h. Valdênio foi alvejado com cinco tiros de revólver calibre 38.

Policiais da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) estão à frente do caso. Segundo informações, Valdênio tinha envolvimento com vários crimes no Maranhão e em outros estados, e, inclusive, já tinha sido preso diversas vezes por chefiar uma quadrilha especializada em roubo de carga e sob a acusação de latrocínio no Pará.

Ele foi preso no dia 26 de abril portando um revólver calibre 38, por suspeita de envolvimento na morte do jornalista Décio Sá."

Entenda o caso
Décio foi executado no dia 23 de abril com cinco tiros, em um bar, na Avenida Litorânea. De acordo com testemunhas, os suspeitos chegaram em uma motocicleta, executaram o jornalista e fugiram do local.

Qualquer informação sobre os assassinos do jornalista, pode ser passada ao Disque-Denúncia, pelos telefones 3223-5800, na capital, e 0300 313 5800, no interior do Estado. Não é necessário se identificar.
--- ---