6 de junho de 2012

Sob suspeita de corrupção, Gessé Simão e afastado do Comando da COOMIGASP!

A juíza Aline Machado, da Justiça Estadual da Comarca de Curionópolis, determinou nesta ultima terça-feira (5), o afastamento de Gesse Simão de Melo da presidência da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada – Coomigasp.

A pedido do Ministério Público Estadual, a decisão também autoriza a quebra de sigilo bancário e a completa apuração do gasto de 27 milhões de reais repassados pela Colossus Minerals Inc. à cooperativa. Um oficial de justiça foi enviado ao prédio onde funciona a Coomigasp, mas Gesse Simão não foi encontrado para receber a notificação judicial, apesar de se encontrar em Curionópolis desde ontem pela manhã.

A decisão judicial já era esperada pelos advogados da Coomigasp, que souberam de forma antecipada, ao serem informados sobre a montoeira de processos protocolados no Fórum de Curionópolis e na promotoria Publica da cidade, por uma equipe da Policia federal que esteve no final da semana passada em Curionópolis.

A farta documentação alertava tanto o promotor público, Hilio Rubens Pinho Pereira, quanto à juíza substituta, Aline Machado, da necessidade de afastar o presidente da cooperativa, no sentido de apurar as denúncias de improbidade administrativa que vinham sendo cometidas por Gessé e sua turma. Na esteira das denúncias se destacam aquelas referentes às prestações de contas ocorridas nos últimos três anos, que, somados com os gastos nos últimos cinco meses, chegam há mais de 60 milhões de reais.

Além disso, há denúncias de que toda a dinheirama recebida através de mútuos (empréstimos) da Colossus entrou por contas particulares de diretores e não da conta jurídica da cooperativa, como manda a lei. A juíza Aline Machado também ficou sabendo sobre a enorme dívida que já chega a 3 milhões de reais que a Coomigasp deve na praça de Curionópolis a fornecedores e aos seus próprios funcionários, que estão com salários atrasados há cinco meses.

Já no âmbito do Ministério Público Federal do Pará, a escandalosa gestão de Gesse Simão está sendo alvo de investigações no que diz respeito à relação de parceria que a Cooperativa tem com a Colossus. As denúncias de conluio entre Jairo e Gessé para favorecer o grupo canadense é motivo também de investigação. Até o final da noite de ontem (5), o oficial não conseguiu notificar Gesse. Hoje, a juíza Aline Machado está enviando a notificação do seu afastamento do comando da Coomigasp para a sua residência em Imperatriz no Maranhão.

Com o afastamento de Gessé, quem responde pela presidência da cooperativa é o diretor administrativo, Valder Falcão, até que cesse a decisão judicial. Porém o Conselho Fiscal deve se reunir ainda hoje para tomar uma decisão que já deveria ter tomado: o afastamento de Gessé e do diretor financeiro, Marco Antonio Poliplaca, e convocar de imediato a assembléia geral da sociedade para decidir o que fazer. A justiça também mandou anular todos os atos e decisões tomadas de forma unilateral por Gessé Simão, como as fajutas portarias assinadas por ele,  ameaçando de expulsão os garimpeiros na tentativa de impedir o livre direito da sociedade de se manifestar através de uma assembléia geral .
Agasp Brasil
--- ---