Açailândia: O inferno astral da ex-prefeita Gleide Santos

Ex-prefeita Gleide Santos
Uma das maiores qualidade do ser humano é reconhecer seus erros, ser humilde, respeitar as decisões da justiça, e saber o momento certo de seguir ou parar.  Como diz um trecho da letra da musica do cantor Fernando Mendes (sorte tem quem acredita nela), “Não adianta ir à igreja (rezar) (orar) e fazer tudo errado”.

Com isso, vamos tocar no momento político que o município de Açailândia vem enfrentando, principalmente com referência a impugnação da candidatura da ex-prefeita Gleide Santos, que um dia o destino lhe proporcionou o direto de está prefeita do município, mesmo assim, a mesma passou os pés pelas mãos, e não soube aproveitar tal oportunidade.

Hoje, a ex-prefeita procura colocar a culpa pelo seu fracasso político, nos seus adversários! Inventando factóide, plantando inverdade, como no caso em que a mesma teve a deselegância de acusar o ex-presidente da Câmara Municipal de Açailândia o hoje deputado Federal Helio Santos (PSDB), de ter-lo falsificado sua assinatura, fato esse já provado pelo deputado de que não houve em hipótese alguma tal crime.

A população de Açailândia é sabedora, de que na época da votação das contas dos ex-prefeitos Gilson Santana, Jeová Alves, e da própria ex-prefeita Gleide Santos, os vereadores se reuniram, e inocentaram tanto Gilson Santana assim como Jeová Alves. Já as contas da ex-prefeita foram reprovadas pela casa de LEIS! Talvez houve ai falta de jogo político da mesma, ou até mesmo uma simples comunicação entre os vereadores e Gleide Santos.

Temos que ser franco e reconhecer a força política do nome da ex-prefeita, mas no momento, sua candidatura é como se fosse um produto com “data de validade vencida”. Do que adianta temos um bom nome, se não pudemos ter a segurança de votar no mesmo? Pois todos os votos que a mesma conseguir com uma candidatura impugnada, seria apenas perda de tempo, seria entregar um possível mandato de Mao beijado ao segundo colocado na disputa.

Com a decisão da justiça de Açailândia que tornou a candidatura da senhora Gleide Santos indeferida, seria pura perda de tempo, a mesma recorrer impetrando novos recursos na capital, seria prudente e elegante por parte da mesma, agir com humildade, reconhecer que esse não é seu momento, que violência só gera violência, e que somos reféns das nossas ações, só colhemos o que plantamos. Por isso, a mesma teria que jogar a tolha, e cumpri os acordos com as pessoas que ainda estão no grupo, e decidir por um nome que tenha a ficha limpa.

Do contrario, a ex-prefeita caminha a passos largos para o fim de uma carreira política de forma medíocre, sem nunca ter conseguido ser eleita pelo voto direto, e poderá ficar sozinha, sem grupo, sem amigos, apenas chorando o leite derramado, e com um péssimo sentimento de culpa, devido sua imaturidade política.

 
Tecnologia do Blogger.