Açailândia: Diretor do Hospital São Sebatião rebate acusações da midia paga pela prefeitura!



A mídia paga pela prefeitura de Açailândia vem a todo custo tentando deturpar uma matéria exibindo ontem (19) no programa Bom dia Brasil da TV Globo. O fato ganhou notoriedade depois que o  médico Petrônio Gonçalves, resolveu colocar alguns anúncios em jornais do sul do pais, em busca de medico ortopedista para atender tanto no hospital São Sebastião, assim também como no Same, empresas da qual o mesmo é sócio e diretor.

Em contato com Dr. Petrônio Gonçalves, o mesmo informou ao blog, "que não passa de puro blefe e demagogia barata, o comportamento da  prefeita Gleide Santos, ao usar seus acéfalos, afirmando que os anúncios seja tendencioso". "Inclusive segundo Dr. Petrônio, após os anuncios, o mesmo já conseguiu contratar, um excelente profissional, que é o Dr. Olinto Lago, médico ortopedista, formado a 12 anos, que já se encontra atendendo a população de Açailândia e região".

Se as pessoas observarem bem, irão entender que no classificado da qual gerou a matéria do Bom dia Brasil, em momento algum é citado o nome da prefeitura de Açailândia. Segundo Dr. Petrônio Gonçalves, “A prefeita Gleide Santos revogou a lei da escravatura, ao proibir todo e qualquer profissional de saúde que preste serviço ao município, de também prestar serviço em hospitais particulares, especialmente no Hospital São Sebastião, por pura perseguição, e foi justamente isso que fez com que eu fosse atrás de novos profissionais para atender no Hospital São Sebastião”.

Diferentemente do que afirma a matéria publicada pela mídia paga pela prefeita, segundo Dr. Petrônio Gonçalves, “em seus 22 anos de fundação, o Hospital São Sebastião nunca colocou um profissional para atender a população, que tenha sido formado em faculdades suspeitas, muito menos profissionais que tenha feito pôs graduação pela internet, ou em cursos por correspondência, conforme foi colocado no currículo do atual secretário de saúde do Município VEJA AQUI

O Dr. Petrônio afirma que, “todos os profissionais médicos que presta serviço mo hospital são Sebastião foram formados em faculdade renomadas do Brasil, prova disso é a Dra. Ana Cristina, que tem mestrado doutorado em Ginecologia na (USP) Universidade de São Paulo,  segundo ainda Dr. Petrônio Gonçalves o mesmo não está nem um pouco preocupado com as ações de Saúde da prefeita Gleide Santos, visto que no Hospital São Sebastião não sobra tempo para essas picuinhas.

Veja a matéria da Jornalista Kátia Brembatti
Má distribuição dos médicos promove sistema de “leilão”
Com oferta de salário de R$ 35 mil, um hospital particular de Açailândia, no Maranhão, levou 40 dias – publicando anúncios nos principais jornais do país – para conseguir um médico ortopedista. O profissional que preencheu a vaga é do Paraná. O diretor do Hospital São Sebastião, Petrônio Gonçalves dos Santos, conta que a dificuldade para contratar médicos se espalha pela região. 
Açailândia é o terceiro maior município do Maranhão. Tem cerca de 100 mil habitantes e fica a 70 quilômetros pavimentados de Imperatriz. A oferta de trabalho não incluía atendimentos do SUS nem plantões. São cerca de 70 médicos na cidade, um para cada 1,5 mil moradores. 
Para o diretor, o governo é responsável pela má distribuição. “Tem que criar condições para levar os médicos para o interior. No Peru, por exemplo, o profissional recebe um diploma provisório quando se forma e só depois de passar dois anos em cidades pequenas é que ganha o definitivo.” Ele também argumenta que enquanto o valor da remuneração para um procedimento cirúrgico for o mesmo em Curitiba e no interior do Brasil, o médico vai preferir ficar numa cidade grande. Petrônio assegura que o salário de R$ 35 mil não é o maior da região: somente nos locais em que o profissional tem um emprego público e outro particular é que a compensação financeira atrai o médico.

Tecnologia do Blogger.