Açailãndia: Enquanto a população sofre com uma administração caótica, a imprensa se faz de cega surda e muda!!

Fazendo uma analogia sobre a realidade política que passa nesse momento, o município de Açailândia, fica no ar varias indagações, indagações essas muitas vezes sem resposta, devido a grave crise em que se encontra esse grande município, e pra ser mais realista, nunca teve sorte com políticos.

JOGO DE INTERESSE POLITICO
Se todos os políticos que já passou pelo poder em Açailândia, independente de executivo ou legislativo tivessem feito o seu trabalho com seriedade, esquecendo os interesses financeiros, esquecendo as propinas, esquecendo-se de saquear os cofres públicos, a realidade seria muito diferente, e hoje o município teria outra “cara”, e seria um lugar melhor pra se viver. Como diz o ditado: dinheiro tem o que falta mesmo, é seriedade com a coisa pública e gestão de qualidade.

Desde sua emancipação, passando pelos ex-prefeitos Raimundo Sampaio, Raimundo Pimentel, Leonardo Queiroz, Ildemar Gonçalves, Deusdete Sampaio, Gilson Santana, Leonardo Queiroz, Gleide Santos, Jeová Alves, Ildemar Gonçalves novamente, e agora Gleide Santos, muito pouco foi feito, pois é inadmissível um município tão rico como é Açailândia, deixar-se ser dilapidada por políticos inescrupulosos, que só ver seus interesses individuais quando chegam ao poder.

IMPRENSA MARROM

Já imaginou os dias atuais sem o trabalho da imprensa, Seria muito difícil não é mesmo?  E o que dizer de uma imprensa marrom como a de Açailândia?  Que muda de atitudes conforme alguns trocados nos bolsos de alguns membros, que preferem “conviver com lixo, ruas esburacadas, saúde pública cambaleando, e mesmo assim tentam passar para população a impressão que estamos em um paraíso”.

Há poucos dias atrás, a grande maioria dos membros da imprensa viviam tecendo severas criticas contra essa administração catastrófica que ora estar no poder, e do dia para noite, todos ficaram e estão caladinhos, parece até que estamos em outro município, enquanto as pessoas estão morrendo a “mingua” por falta de um atendimento medico adequado, só se ver divulgação de noticias de fora da cidade.

Já no radio, quando alguém telefona para fazer alguma denuncia contra a administração pública, os locutores  bate de frente com o ouvinte, defendendo o indefensável, além de viverem criando factoide contra os opositores da chefa do executivo municipal.



Tecnologia do Blogger.