Informática é na Conexus


Petrobras anuncia que desistiu de construir Refinaria Premium I em Bacabeira

Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/01/1581581-refinarias-que-nao-saem-do-papel-levam-petrobras-a-perdas-de-r-27-bi.shtml ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/01/1581581-refinarias-que-nao-saem-do-papel-levam-petrobras-a-perdas-de-r-27-bi.shtml ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo protegerA Petrob

A Petrobrás desistiu de construir os projetos das refinarias Premium I, lançada no segundo governo do Presidente Lula. A Premium I seria construída no município de Bacabeira, no Maranhão. 

Além da Refinaria Premium I, a empresa desistiu também de construir a Premium II, no Ceará. Os projetos das refinarias vinham sendo alardeados há anos, com eventos oficiais, visitas e muita expectativa do mercado, que vinha reclamando do número reduzido de grandes projetos licitados no último ano principalmente na área de refino.

A razão alegada pela estatal foi o prejuízo na área de abastecimento da companhia, somado em R$ 13,8 bilhões entre janeiro e setembro do ano passado. A perda foi 13% maior em relação ao prejuízo do mesmo período do ano anterior, de R$ 12,2 bilhões.

A presidente Graça Foster chegou a anunciar mais de uma vez no ano passado as datas em que os pacotes das duas refinarias seriam lançados, mas sempre que a data chegava os projetos eram postergados.

Graça disse ainda que, para reforçar o caixa, fará “desinvestimentos em 2015, com potencial de contribuição ao caixa em níveis próximos aos realizados em 2014″. A implementação desses desinvestimentos dependerá, naturalmente, da evolução das condições de mercado, disse Graça no comunicado, destacando que a empresa terá “à disposição garantias da União Federal para os recebíveis do setor elétrico, que permitirão a negociação desses créditos no mercado bancário”. 

Porém, a companhia não deu uma data para publicar o balanço com o parecer da PwC. “Continuamos trabalhando para produzir as demonstrações financeiras revisadas pelo Auditor Externo (PwC) no menor tempo possível, não apenas em relação aos ajustes nas demonstrações contábeis, mas também à necessidade de aprimoramento dos nossos controles internos”.

(O Imparcial Online)

Tecnologia do Blogger.