19 de dezembro de 2015

O COMUNISTA FLÁVIO DINO (PCdoB) USA DINHEIRO PÚBLICO PARA INCENTIVAR A PROMISCUIDADE E A IMORALIDADE

Por: Silvio Vieira
Açailândia/MA - Em um ano de governo, do comunista Flávio Dino (PCdoB), nosso sofrido Estado do Maranhão, continua na inércia, com seu povo sofrendo de carências básicas, tais como saúde, educação e segurança pública.
O governo do Flávio Dino tem sido um desastre total. A incompetência tem sido a marca registrada de sua gestão. Logo ele que pautou seu discurso nos indicadores sociais, dizendo que o Maranhão estava na zona de rebaixamento do campeonato sócio-econômico do nosso país, e, somente ele, seria o salvador da pátria, o messias, o camisa 10 que nosso time precisava para avançar à zona de classificação.
Hoje, quase um ano de governo, ele tem se revelado como um tremendo perna de pau, que não serve para atuar nem no banco de reserva do nosso time.
Isso mesmo, Dr. Jackson Lago, in memoriam, no seu primeiro ano de governo, foi tremendamente superior a esta gestão que aí se encontra.
O que temos observado é que enquanto a população maranhense se encontra refém, nas mãos dos meliantes, as escolas de nossos filhos desaparelhadas, nosso povo morrendo em filas e mais filas de hospitais, o governador Flávio Dino usa o dinheiro público, diga-se nosso dinheiro, para incentivar a promiscuidade e a imoralidade.
Entendo que, realmente, quem discrimina e agride as pessoas por suas opções sexuais tem que responder civil e penalmente, assim como responde aqueles que agride e discrimina qualquer pessoa por sua cor de pele ou por escolha da religião.
Ressaltando que tais garantias estão na CF/88.
Agora, o que não pode é o governo do Estado, através de políticas públicas LGBT/Conselho gay, querer doutrinar nossas crianças pregando nas escolas/ENEM que ninguém nasce homem ou mulher, defendendo uma filosofia barata chamada de diversidade/identidade de gênero...
Defender que a união de homem com homem ou de mulher com mulher é um modelo salutar para a sociedade, enquanto que tais comportamentos são aberrações que atentam à própria existência do Estado.

O que não pode é o governo querer criminalizar opiniões contrárias, como querem o movimento gay e o PL 122 - HOMOFOBIA, que só encontra respaldo histórico no direito nazista alemão.
O que não pode é o nosso governador gastar o dinheiro público defendendo a promiscuidade e a imoralidade em detrimento de outras minorias, tais como os negros, as quebradeiras de coco, os sem tetos, sem terra, sem escola, sem saúde, sem segurança e outras centenas de sem nada.
--- ---