21 de novembro de 2016

PREFEITO ELEITO DE IMPERATRIZ SE MOSTRA INDIFERENTE COM A CRISE FINANCEIRA, E QUER AUMENTAR SEU PRÓPRIO SALARIO ENQUANTO OUTROS ESTÃO CORTANDO GASTOS.

“Quer conhecer o verdadeiro caráter de uma pessoa, dê o poder a ela”.
Assis pede que os atuais R$ 18 mil de salário salte para R$ 23 mil.

Esta frase é a mais pura realidade, o poder corrompe de uma maneira ou de outra. E a mudança fica mais cruel, à medida que a pessoa se torna um mandatário, um agente público, pois é muito comum você ouvi alguém dizer: Fulano antes do poder era uma coisa, agora é outra.


Em todos os setores, em todas as administrações sejam elas públicas ou privadas, há aqueles que pensam que o poder é eterno, e também há aqueles que sem experiência na vida pública, “se queimam” logo nos primeiros atos como agente público, como fez recentemente o prefeito eleito de Imperatriz Delegado Assis Ramos (PMDB).

Então fica a seguinte a indagação: o prefeito eleito de Imperatriz delegado Assis Ramos tem alguma culpa ao defender aumento de salario mesmo o Brasil enfrentando a maior crise financeira e politica da historia? A resposta seria não! Ai você se pergunta e de quem é a culpa afinal? A resposta; A culpa é do próprio eleitor, que se encanta com “palavras bonitas”, e não procura ao menos conhecer o verdadeiro caráter dos candidatos. 

Saindo do foco do delegado prefeito, existem outros políticos que começam a pisar nas pessoas, se achando soberanos (superiores), mesmo sabendo que dias atrás ocupavam o mesmo cargo dos seus subordinados, e isso vem acontecendo com a grande maioria da classe politica.

Há uma mudança de comportamento do agente publico que “antes era humilde”, aquele que hoje se acha gente de pescoço grosso, nariz empinado de salto alto depois que chegaram ao poder, é uma prova viva da frase acima ““ Quer conhecer o verdadeiro caráter de uma pessoa, dê o poder a ela”.

Espero que boa parte da classe politica corrija isso a tempo, para não cometerem os mesmos erros de outro que detinha o poder em tempos não muito distante, e hoje são apenas meros espectadores. 

Uma vez que você tem o "poder", você pode passar a ver as coisas de forma diferente. Você acredita ou discorda? O poder sobe à cabeça dos políticos, assessores, cargos executivos, entre outros tantos. Podemos generalizar esses fatos, ou não?

Tudo neste mundo é relativo, não dá para generalizar coisa alguma. Infelizmente o poder corrompe, sim, a maioria dos que chegam lá, mas há muitas exceções.

Jesus de Nazaré e Martin Luther King (não foram políticos, mas extremamente poderosos pela influência que exerceu), e Gandhi (estadista que marcou a história do seu país milenar), estes sim, foram humildes não se corromperam. Lembra-se das tentações de Jesus no deserto?

O poder corrompe, só conhecemos o soldado quando ele vira tenente. O poder corrompe os fracos, os sem personalidades. Quem tem dignidade não se deixa levar pelo sistema, há poucos exemplos de seriedade na nossa política regional, mas essa minoria prova que só os indignos se corrompem.