DAYANE LIMA NUTRICIONISTA

DAYANE LIMA NUTRICIONISTA

5 de janeiro de 2017

Rio Tocantins "Morreu" e a culpa é da Usina Hidroelétrica de Estreito, e das “autoridades governamentais”.

TOCANTINS RIO AFOGADO (documentário completo)


A natureza estar agonizando: isso não é nenhuma novidade, e tudo isso é culpa do próprio homem, bem como do próprio governo, que em vez de cuidar, de fiscalizar, é conivente, apoiando e liberando licenças ambientais sem respeitar os mínimos critérios técnicos ou os impactos ambientais irreversíveis.


Apoiados por órgãos como o (IBAMA), por exemplo, que seguindo os critérios do falso desenvolvimento incentivado pelo governo federal estadual, prefeitos, deputados, e senadores. Essas usinas hidroelétricas acabam com sonhos, destrói vidas, destrói a fauna e a flora, e aos poucos estar fazendo sumir do mapa rios importantes como, por exemplo, o Rio Tocantins.

Em toda sua historia, o ex-magestoso Rio Tocantins, especialmente no trecho Maranhense, nunca havia passado por essa situação critica em que se encontra hoje, com seu nivél de água tão baixo, e com a navegação totalmente comprometida. Pois mesmo existindo diversas épocas com chuvas escarças, nunca o Rio Tocantins havia ficado em situação tão critica.

Após começar a operação das usinas hidroelétricas ao longo do leito do Rio Tocantins, começou um ciclo de mudanças impactantes, mudando radicalmente a vida e o ecossistema ao longo do Rio.  Principalmente depois que entrou em operação a (UHE) Usina Hidroelétrica de Estreito no Maranhão.

O estrago é grande e monstruoso. Na área que recebe o grande lago que serve de reservatório da hidrelétrica, a natureza se transforma: o clima muda, espécies de peixes desaparecem, animais fogem para refúgios secos, árvores viram madeira podre debaixo da inundação.

E isso fora o impacto social: milhares de pessoas deixam suas casas e têm de recomeçar sua vida do zero num outro lugar. No Brasil, 33 mil desabrigados estão nessa situação, e criaram até uma organização, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

Pode parecer uma catástrofe, mas, comparando com outros tipos de geração de energia, a hidrelétrica até que não é ruim. Quando consideramos os riscos ambientais, as usinas nucleares são mais perigosas.

Diante disso, é preciso que se respeite a natureza, é preciso que se preserve a vida, o ecossistema, a fauna e a flora. Os políticos tomem vergonha na cara e façam a coisa certa, parem com essas construções desenfreadas de usinas, parem de matar os rios.

Existem diversas outras fontes de geração de energia limpa, como a eólica, a energia solar por exemplo. Talvez no dia que essas autoridades hipócritas resolverem abrir os olhos, poderá ser tarde demais.

Nilton Sezar Ferreira Barros
          Açailândia-MA

Veja abaixo  algumas imagens que denuncia esse crime.