22 de março de 2017

Açailândia é destaque durante oficina de Trabalho Para Reestruturação das Redes de Atenção à Saúde





O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Conselho Estadual dos Secretários Municipais de Saúde do Maranhão (Cosems) e a Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), realizou uma oficina para aperfeiçoar o sistema de saúde do estado e assim, pleitear o aumento da per capta repassada pelo Ministério da Saúde. O evento teve início na ultima segunda-feira (13), e encerrou na tarde da ultima sexta-feira (17), no Hotel Praia Mar, em São Luís.


Açailândia foi destaque no evento, pois contou com a presença da secretaria de saúde Kerly Cardoso, da diretora do Hospital Municipal (HMA) Bernadete Oliveira, do diretor da regional de saúde do governo do estado, o senhor Neto, além de todo corpo técnico da secretaria de saúde do município. O evento teve como objetivo, reforçar a Reestruturação das Redes de Atenção à Saúde no Estado do Maranhão.

Todos os secretários municipais de saúde da Coordenação Intergestores Regional (CIR), dos municípios que compõem a regional de saúde de Açailândia,  participaram durante toda a semana, de oficinas temáticas para rediscutir as cinco Redes de Saúde da grade oferecida pelo Ministério da Saúde.

A Regional de Açailândia é responsável por sete municípios, que são eles; Buriticupu, Bom Jesus das Selvas, Itinga do Maranhão, Cidelândia, São Francisco do Brejão, Vila Nova dos Martírios, e São Pedro da Água Branca.

“O Maranhão está lutando pela melhoria da per capta. Então o Governo, a Famem e o Cosems estão alinhados para conseguir isso. Organizar essas redes vai fazer com que o Ministério da Saúde reconheça que aqui há um planejamento na execução dos serviços e que o Maranhão tem tudo para ser financiado pelo Ministério de forma justa”, contou Rogério Gregório de Jesus, assessor especial da SES.

A proposta do encontro, foi para atualizar os dados das redes de todas as regiões do Maranhão. E com isso, traçar metas para elaborar os planos de combate  as  doenças crônicas e da pessoa com deficiência, e o município de Açailândia não poderia ficar de fora. Frisou Kerly Cardoso, secretária de saúde.



REFERÊNCIA.
Essa reestruturação das redes é uma discussão sobre os atendimentos pactuados em todo o Estado. Açailândia vem sendo destaque por mostrar a capacidade de passar a ser referência, não só na média complexidade, como também está se preparando para a alta. 

UPA/SAMU.                     
Com o Estado discutindo, junto ao ministério da saúde, o aumento de recursos, Açailândia sai na frente, com uma estrutura diferenciada, para apresentação de serviços novos, como: rede de urgência e emergência em construção reforma e ampliação, uma UPA já entregue e proposta de construção da base do SAMU e reestruturação da frota.

CAPS.                 
Construção de quatro equipamentos para atendimentos da rede psicossocial, sendo: 2 unidades de acolhimento, 1 CAPS 3 e 1 CAPS Ad3. Dentro desses atendimentos, o município contará com o atendimento infantil, de álcool e drogas, bem como, internação hospitalar, com leitos psiquiátricos, dentro do HMA. 
                
UTI NEONATAL.                 
Já na rede cegonha, Açailândia está em pleno vapor à construção da maternidade, que contará ainda com leitos de UTI neonatal e adulto.

CASA DA GESTANTE.                      
Esse serviço, que é preconizado pelo ministério da saúde, será um diferencial para toda a região, pois contará ainda com a casa da gestante. Um atendimento humanizado e totalmente diferenciado.  


HEMODIÁLISE.                    
Dentro da rede de doenças crônicas, além de passar a ofertar o serviço de Hemodiálise no município, Açailândia ainda contemplará toda a Regional, com os atendimentos de nefrologia, bem como, os exames e cirurgias.

FISIOTERAPIA.                    
O município está propondo alguns equipamentos. Açailândia já oferta o atendimento cirúrgico em alguns casos e o serviço de fisioterapia. Açailândia vem propondo a construção do centro especializado em reabilitação, para os atendimentos às quatro deficiências: física, visual, auditiva e intelectual.

PORTADORES DE DEFICIÊNCIAS.                      
Para finalizar: dentro de uma nova proposta, o ministério da saúde apresenta a rede viver sem limites, que trata dos portadores de deficiências.