COMPRE DIRETO DA CHINA SEM INTERMEDIARIO

29 de junho de 2017

Construção do trecho de ferrovia EF 151, entre os municípios de Açailândia-Ma, e Barcarena-Pa, é cobrado pelo senador Jader.

Um trecho estratégico para o Estado do Pará da Ferrovia Norte-Sul continua sem definição. A proposta de ampliar e integrar o sistema ferroviário nacional promovendo a ligação entre os municípios de Açailândia, no Maranhão e Barcarena, no Pará, definida como nova logística regional de transporte, continua no papel.

A ideia inicial era fazer a interligação com o Complexo Portuário de Vila do Conde. Mas desde 2012 o Governo Federal tenta, sem sucesso, atrair investidores para o trecho, que passaria a ser um dos terminais de escoamento da produção da região através de ferrovia.

Sem ter respostas sobre o projeto, considerado estratégico para o Pará, o senador Jader Barbalho (PMDB) solicitou ao Ministério dos Transportes, por meio de requerimento protocolado na mesa do Senado, informações sobre a prioridade da construção do trecho da Ferrovia Norte-Sul em território paraense.

No requerimento, o senador destacou a importância da construção do trecho para a economia do Estado. Direcionado ao ministro dos Transportes, Maurício Quintella, Jader Barbalho enfatizou que o Pará precisa saber quando, efetivamente, o Governo Federal vai contemplar as prioridades do Estado.

“Trata-se de um projeto que possibilita romper as limitações de um rico território primário exportador que apenas contribui para a balança comercial do país. É vital para a economia paraense ampliar sua logística regional de transporte de minério de ferro e o desenvolvimento da exploração de outros minerais”, destacou no documento.

Jader quer informações sobre o atual estágio do projeto e se há previsão para o início e a conclusão das obras de todo o trecho da Norte-Sul. O senador também pede informações sobre a análise das Tomadas de Contas Especiais feitas pelo Tribunal de Contas da União sobre os trechos com superfaturamento.

BENEFÍCIOS

A construção do trecho da EF 151 de Açailândia a Barcarena possibilitaria a extensão da malha ferroviária nacional em direção à extremidade oriental da Amazônia, onde a produção de bens de consumo e commodities também acompanha o crescimento em produtividade experimentado pelos demais produtores do Brasil.

O senador lembrou ainda que, uma vez construído o trecho Açailândia/Barcarena, a ferrovia criará condições favoráveis para a projeção de novos trechos ferroviários que vão permitir ampliar a competitividade dos produtos e serviços oriundos da Amazônia.


“A ligação ferroviária com a região Norte do Brasil assegura as condições mínimas de aproveitamento para a conexão com a logística de transporte instalada nas regiões da América Central e do Caribe na possibilidade de acesso a esse mercado consumidor, com custos de logística mais competitivos”, concluiu.

(Luiza Mello/Diário do Pará)
--- ---

COMPRE DIRETO DA CHINA SEM INTERMEDIARIO