Crime eleitoral: Eles não ligam para a lei


Se depender da prática de crime eleitoral por Flávio Dino, Weverton Rocha já pode se considerar senador
Por: José Linhares Jr

O site Atual 7 publicou uma matéria que retrata muito bem o clima eleitoral que já tomou conta do governo Flávio Dino e de seus aliados. De acordo com o site, Flávio Dino usou a estrutura do governo que deveria trabalhar pela população para fazer campanha antecipada para o deputado federal Weverton Rocha (PDT).


O crime eleitoral aconteceu dentro das dependências do Palácio dos Leões durante a entrega de kits e equipamentos agrícolas a alguns municípios maranhenses.

Em certa altura do evento, o prefeito de Lago da Pedra, Laércio Arruda (PSDB) fez uma espécie de cantoria em que deixa transparecer a razão do espetáculo:

“Oh, Weverton, obrigado! Agradeço com amor. Povo de Lago da Pedra, agora nesse trator, te digo defende agora: você é o meu senador”.

[srizonfbvidsingle id=848315195336525/]

A cantoria de Laércio deixa mais do que evidente o custo dos benefícios concedidos pelo governo aos prefeitos. Aliás, o prefeito recebeu o microfone do próprio Flávio Dino. Que, aparentemente, deu a deixa para a chancela da fatura.

Na certeza de que os vassalos do Ministério Público Estadual nada farão, o próprio Weverton Rocha fez questão de publicar o flagrante crime em suas redes sociais.

O fato é que, se depender da força do cometimento de crime eleitoral e submissão do procurador-federal Pedro Henrique Oliveira Castelo Branco, Rocha já pode se considerar eleito senador.
Pedro Castelo Branco: o procurador que não procura explicações sobre crimes eleitorais flagrantes.
E não é de hoje que Flávio Dino dá mostras de que está pouco se lixando para as leis que um dia, quando juiz, dizia defender. O uso indevido de bens públicos para o uso em propaganda irregular já é mais do que rotineiro.