Grupo de vereadores de Açailândia ex- (G9) usa a seguinte tática: "Faça o que eu digo, não o que eu faço”.

Em Açailândia, vereadores pertencentes ao ex-grupo (G9), vem pondo em xeque sua própria "credibilidade", ao fazer vistas grossas, e puxar para debaixo do tapete seu próprio “lamaçal”, sobre as denuncias de corrupção, envolvendo a péssima gestão do presidente  da Câmara vereador Ceará.

Pesa contra a gestão do vereador Ceará, diversas denuncias que vão desde licitações fraudulentas para beneficiar um mercadinho, até mesmo gastos não explicados referentes uma reforma desnecessária na sede do poder legislativo, que segundo denuncias, teria ultrapassado a casa dos 5 milhões de reais.

A bem da verdade, e em respeito à própria população, os vereadores que tem a missão de legislar e investigar não só as ações do poder executivo, deveriam fazer o mesmo dentro da sua "própria casa", ou seja, a Câmara municipal, e cortar o mal pela raiz. Ou realmente vale o ditado: “faça o que eu digo, não o que eu faço?”.

O vice-presidente da Câmara vereador Caibim, bem como o restante dos componentes do ex-grupo (G9), deveria solicitar urgente, a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para que se investiguem as denuncias do Ministério Público Estadual (MPE).

Outra sugestão aos membros do ex-grupo (G9), que se auto intitula os “donos” da verdade, para demostrar imparcialidade e seriedade, além da instauração da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), pedir por 30 dias, o afastamento do vereador Josibeliano Chagas Farias, o Ceará, da presidência do poder legislativo municipal.
Tecnologia do Blogger.