MARANHÃO 2018


A mídia amestrada logo saiu em defesa do traidor pois deve ter lá as suas razões.

Desde o começo do governo percebeu-se uma movimentação partidária de políticos municipais em direção a três siglas partidárias situacionista, a saber: PC do B, PDT e PSDB do Brandão.
Este último conseguiu sair das garras palacianas.

Mas o que muitos não esperavam o que viria a acontecer depois, como eu, foram tomados por um espanto colossal.

Já tratamos aqui da questão da traição do atual governador Flávio (criatura) ao ex-governador Zé Reinaldo (criador).

A história é feita de interpretações e reintrepretações. Mas costumeiramente as pessoas tendem a rejeitar a traição e o traidor, mesmo na política.

Passou desapercebido o artigo do ex-governador sobre o discurso de despedida ao governador Geraldo Alckmin feito pelo atual governador Márcio França.

Vale a leitura do artigo que tem duas valiosíssimas palavras como título:

LEALDADE E GRATIDÃO

Uma das páginas mais bonitas e animadoras da nossa vida política foi escrita na sexta-feira, dia 6 de abril, em São Paulo. Foi na posse do vice-governador Marcio França (PSB) como governador do estado, substituindo Geraldo Alckmin (PSDB), que renunciara para poder concorrer à Presidência da República.

Principalmente nesse momento em que se cultiva uma política de ódio, do “nós contra eles”, da perseguição política, do “quem não está comigo é inimigo”, Marcio França comoveu e chamou todos à razão, com um discurso de lealdade e gratidão ao amigo que o ajudou a chegar ao lugar em que chegou, de governador do mais avançado estado da federação brasileira, Geraldo Alckmin.

Justo nesse momento em que alguns “cristãos novos” bradam que em política não existe gratidão, como se a política estivesse apartada de toda a relação humana e não fosse como é, em sua essência, a arte da convivência com os contrários e do entendimento necessário para a formação de maiorias e da possibilidade de governar.

Pobre de quem pensa assim, da ausência, na política, de gratidão ou de sentimentos nobres na como a lealdade, como se fôssemos robôs sem sentimento nenhum pelo próximo, apenas cultivando o ódio a quem nos é contrário.

Vamos ao que falou Marcio França:

“Ah a lealdade… essa velha e honrada senhora certeira
Não tem dia e não tem hora, que eu te esqueça
Nem que o mundo acabe ou que eu desapareça…
Lá vai você comigo, minha querida companheira,
Não sei se nasceu em mim, ou se meus pais me impregnaram.

Só se sei que me acompanha resistente pela vida inteira,
E me abriu caminhos decisivos, que só por ti passaram.
Ah a Lealdade...

Condutora segura do meu destino, presente em mim, desde menino, orientou meus passos e minha conduta.
Assim, sempre fui leal a Deus, sobre todas as coisas, pois sei que ao final, não seria em vão a minha luta”.

Aqui, para não ficar muito longo vou pular lindas passagens de sua vida e da sua família para chegar a essência política do fato:

“[...] Vivo para permitir que todos possam ter as mesmas oportunidades que eu tive na vida;
Que todos possam ser felizes como eu fui, que a lembrança lhes seja querida;

Que todos possam exercer suas vocações, que trabalhem por prazer;

Que os meninos não tenham que vender os seus sonhos nem vilipendiar o seu ser;

Que amem seu País e admirem seus governantes;
Que o futuro seja sempre melhor do que foi antes;
Que todos possam acreditar mais no que são, do que no que têm;

Que a Lei sirva a todos e que não privilegie ninguém;
Que as decisões mais importantes possam vir do voto do povo;

Que a tolerância e a generosidade possam vencer de novo;
Que digam com orgulho que moram em
Uma Pátria Amada, e gentil.

Que não fujam da luta
E que nunca desistam do Brasil!!!
Por fim, Governador, Eternamente Governador Geraldo Alckmin, amigo e companheiro,
Sou e serei leal ao seu legado,
A sua conduta e ao seu exemplo certeiro;
Sua humildade, seu exemplo, sua discrição, sua perseverança e a sua retidão.

Seu Pai, por certo, lhe acompanha orgulhoso e feliz, junto com outros queridos de tantos momentos,
Sabe que o senhor também fez na vida o que quis
E foi leal a ele, aos seus princípios e ensinamentos
Vá em Paz, Governador, que o Senhor lhe acompanhe
Um abraço a Dona Lu, sua metade querida na eterna caminhada de vida.

Nós estaremos sempre aqui, felizes e orgulhosos do seu sucesso e das suas realizações,
Do cumprimento do seu destino e das suas missões
Saiba que no dicionário cravado nas nossas almas e guardado no coração.

Só há uma palavra que precede a palavra lealdade…
E essa palavra é gratidão!
Todos nós, brasileiros de São Paulo, agora, de pé e à ordem, lhe pedem permissão
Para aplaudi-lo por toda sua dedicação, sua lealdade ao povo, seus amigos e a sua Nação!
Palmas a Geraldo Alckmin!
Palmas e palmas a Geraldo Alckmin!
O filho humilde e brilhante que de Pinda saiu, que serviu aos seus e deu exemplo ao Brasil!
Viva São Paulo, terra de quem tem palavra, terra que vive a lealdade.
Viva o Brasil, viva a verdade!!!”

Quem dera que todos fossem assim.

Tecnologia do Blogger.