Traição: PHS dá rasteira em pré-candidato após se juntar com PSDB de Roberto Rocha

O agora ex-pré-candidato ao governo pelo PHS, Coronel Monteiro, usou o Facebook para detonar o partido, que é comandando pelo advogado Jorge Arturo – conhecido por ser por ser um dos principais operadores da organização criminosa conhecida como Máfia da Sefaz.

“Me considero traído”, disse Monteiro depois de ver a legenda fechar com o PSDB de Roberto Rocha e dar rasteira na sua candidatura.
No desabafo na internet, Coronel Monteiro afirmou que já sabia que “o mecanismo é muito pesado” e foi capaz de iludir os que lutavam pelo seu nome ao governo. “Nós tivemos a nossa candidatura podada, de maneira infame, porque nós tínhamos um compromisso, e nós honramos a nossa parte. O PHS não foi digno de ser um partido político”, detonou.
De acordo com Monteiro, nessas condições “eu não aceito qualquer outra posição, me ofereçam o que oferecerem, eu não aceito. A minha honra está muito acima de qualquer outro benefício”, afirmou em tom enigmático, sem contar detalhes da rasteira que levou do PHS.
“Não convém e eu não me presto a bandalheiras. Saio de cabeça erguida, mas não desisto da luta. Vocês que fizeram a sujeira”, disparou, depois que o partido fechou aliança com o PSDB e apoiará a candidatura do senador Roberto Rocha ao governo do Estado.
O PHS estava apalavrado com o PMN para lançar chapa proporcional tendo como candidato Coronel Monteiro. Apesar da traição, o compromisso entre Jorge Arturo e o presidente do PMN, deputado Eduardo Braide, permanece e os partidos devem formar uma chapinha na coligação de Roberto Rocha.
O certo é que, para ficar com RR, o PHS teve que usar um expediente que é marca do senador: a traição.
Tecnologia do Blogger.