Presidente chileno e ministro italiano manifestam apoio a Bolsonaro

Fonte:veja.abril

Piñera afirmou que plano de abertura econômica do presidenciável é o que o Brasil precisa; ministro Matteo Salvini comemorou desempenho de candidato


O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, que disputa o segundo turno contra o petista Fernando Haddad no próximo dia 28 de outubro, recebeu nesta segunda-feira (8) manifestações de apoio de políticos sul-americanos e europeus.

O presidente chileno, Sebastián Piñera, afirmou que o candidato tem o plano de abertura econômica de que o Brasil “precisa”, apesar de ser alguém que gera incertezas. A declaração foi dada na noite de segunda, em Madri, ao jornal espanhol El País.

“Os sinais que ele está dando sobre abrir a economia brasileira, reduzir o déficit fiscal, reformar as aposentadorias e reduzir o tamanho do setor público com privatizações é o que um país como Brasil, um gigante, precisa”, disse Piñera durante um encontro econômico.

Piñera admitiu que o capitão reformado gera incerteza porque “ninguém conhece muito bem a sua trajetória”. “O povo votou mais contra os demais políticos do que a favor de Bolsonaro, e por isso há uma grande incerteza”, ressalvou o presidente conservador chileno, que disse ter ouvido suas declarações “homofóbicas” e “sua linguagem muito agressiva com as mulheres”.

No entanto, no plano econômico, Piñera afirma acreditar que Bolsonaro “aponta para a direção correta” e que “ele tem falado muito fortemente de uma luta frontal contra a corrupção e o populismo, que foram dois grandes inimigos no Brasil”.

Piñera se referiu ao candidato ao falar sobre uma América Latina “muito convulsionada, com muitas tensões”, destacando a “situação (econômica) muito complexa” na Argentina e o “drama” da crise econômica e “humanitária” na Venezuela.

Tour por Bolsonaro

O ex-candidato à Presidência do Chile José Antonio Kast, que concorreu ao cargo no ano passado, também manifestou apoio e deverá fazer uma tour pelo Brasil em defesa de Bolsonaro, segundo o jornal La Tercera.

Kast é conhecido por sua defesa da ditadura do general Augusto Pinochet (1973-1990), por causa dos avanços econômicos no período. Ele já lamentou os abusos aos direitos humanos que ocorreram na época.

Ministro italiano

O líder de extrema direita Matteo Salvini, que é ministro do Interior da Itália, comemorou nas redes sociais o desempenho de Bolsonaro no primeiro turno.

Nesta segunda, ele escreveu, em sua conta no Twitter: “No Brasil #Bolsonaro conquistou muitos votos, o vento está mudando em todos os lugares. Eu não entendo alguns jornalistas italianos que chaman alguém de ‘racista-nazista-xenófobo’ apenas porque ele pede mais ordem e segurança para os cidadãos”.
Tecnologia do Blogger.