Após 4 anos mentindo e colocando culpa em adversários, Flávio Dino reconhece que o Maranhão estar quebrado

Em Decreto que deve ser editado hoje sexta-feira (23), o governador comunista Flávio Dino tenta sanar as contas do estado com corte de uma série de vantagens dos servidores, após torrar R$ 6 bilhões de Reais.

O governador Flávio Dino (PCdoB), deve editar por Decreto, hoje sexta-feira (23), uma série de medidas para tentar impedir os riscos de atraso no pagamento do salário dos servidores públicos.

O Decreto é, praticamente, uma confissão de incompetência, e falta de zelo com a coisa pública, pois não precisa ser nenhum economista, para saber que o Maranhão está à beira do colapso financeiro, após quatro anos de desgoverno comunista.

Dino pretende cortar gastos com diárias, veículos, passagens aéreas, telefones; e quer renegociar contratos com fornecedores.

O governo justifica os cortes de despesas com uma suposta perda de R$ 1,5 bilhão em repasses federais que o Maranhão teria sofrido em virtude da recessão, desculpa esfarrapada de incompetentes. 

Quando assumiu o cargo, Dino encontrou no caixa do governo cerca de R$ 3 bilhões em 2015 – R$ 2 bilhões de financiamentos do BNDES e outro R$ 1 bilhão no caixa do Fundo de Pensão e Aposentadoria dos servidores (Fepa) – Dino conseguiu produzir um rombo de R$ 6 bilhões no Maranhão com gastos descontrolados ao longo de quatro anos. 

Tecnologia do Blogger.