Estado de Alagoas vai usar Batata-doce Industrial para a produção de etanol.

Foto de uma unidade em operação no Mato Grosso

A Usina Roçadinho, que fica localizada no municipio de São Miguel dos Campos no  estado de Alagoas, que  estava fechada a mais de cinco anos, devido à inviabilidade de produção de etanol usando a cana de açúcar como matéria prima, deve ser reativada novamente.


A nova fase de reabertura da usina, só estar endo possível, depois que a diretoria conheceu a nova tecnologia desenvolvida por uma empresa de Tangará da Serra MT, partindo de clones desenvolvidos pela Universidade Federal do Tocantins (UFT), Embrapa e outras fontes.

A conclusão das obras de reativação e adequação da usina Roçadinho, é aguardada com entusiasmo, e esperança de geração de novos empregos e renda para a comunidade local.  

Ao todo, no estado de alagoas, um total de três usinas, após estudos realizados criteriosamente, decidem-se pela batata-doce industrial como matéria prima para produção de Etanol e ração animal.

O tubérculo melhorado em laboratório é capaz de produzir mais de 20 mil litros de etanol por hectare, enquanto a cana de açúcar produz apenas media de 7 mil litros por hectare. 

Alem disso, diferente da cana de açúcar, que existe a entre-safra, com a batata-doce industrial, pode ser produzido o ano todo,  garantindo com isso, a viabilidade econômica local, gerando emprego e renda, e valorizando a agricultura familiar

A nova tecnologia desenvolvida, já se encontra em operação no Mato Grosso, Rondônia,  e Amazonas,  é uma plataforma de Usina Flex  ecologicamente correta, e partindo do estado de Alagoas, o modelo deverá se estender a outros estados do Nordeste.

Um dos pontos chave para a nova tecnologia, é devido o zoneamento agro ambiental do Conama (Zaecana), que não permite a produção de etanol de cana. Devido à geração de vinhoto. Que no caso da Batata e proteína usada na fabricação de ração animal.

Tecnologia do Blogger.