2 de novembro de 2010

Prefeitura de açailandia demiti contratados, em vez de fazer concurso publico contrata empresa para substituir funcionarios

Adicionar legenda
AS FOTOS EM QUESTAO, E APENAS PARA MOSTRAR AS CONDICOES EM QUE MORA OS FUNCIONARIOS PUBLICO DO MUNICIPIO, E AINDA POR CIMA SAO DEMITIDOS  PARA EM SEU LUGAR, FUNCIONAR EMPRESAS DO ESQUEMA POLITICO, EM VEZ DE SE FAZER CONCURSO PUBLICO, PARA REGULARIZAR A SITUACAO DOS MESMOS.


AILANDIA – Às vezes nos sentimos tão pequeno e impotente, diante das adversidades. E nos perguntamos! o por quer de tanta maldade no coração do ser humano?  Nossa historia começa tomando o exemplo de uma senhora simples, humildes, batalhadora, que sempre fez de tudo para dar uma condição de sobrevivência a sua família.

O fato relatado aqui nesse blog, estar acontecendo neste momento em todos os cantos do Brasil afora, mas tomamos como exemplo à senhora Maria de Jesus da Silva conhecida como “DIJE” 48 anos de vida, mãe de (09) filhos, residente na rua são Raimundo 145 vila capelosa, casada com o lavrador Raimundo moura da silva, que ate a semana passada ajudava seu esposo complementando o rendimento familiar com a quantia de R$ 420. Reais que recebia no (SESP) como funcionaria contratada pela prefeitura municipal de açailandia.
COZINHA   DA RESIDENCIA
A mesma começou a trabalhar no serviço publico em 05/12/1996, e desde então nunca tirou férias, trabalhando sem condições digna no hospital municipal de açailandia, correndo o risco de contrair uma contaminação por alguma bactéria.
PANELAS  EM CIMA DO FOGAO
Sempre ficava na expectativa, que um dia iria assumir a prefeitura um político que no mínimo se preocupasse com o povo pobre e menos favorecido. O tempo foi passando, e percebemos que todos são iguais! Todos é farinha do mesmo saco! Só muda a carteira de identidade e o (CPF).  Havia uma grande esperança que um dia se regularizasse a situação de todos os servidores do município. E não uma demissão em massa como a que foi feita.
ESTRUTURA DE MADEIRA USADA COMO PIA
Para muitos e principalmente para os donos do poder, essa quantia de R$ 420.00 reais não significa nada, pois ele já tem tudo. Mesmo que conseguido de forma desonesta, mas para essa simples senhora, esse dinheirinho era tudo. Com esse dinheiro recebido no final do mês, ela juntava com o pouco ganho do seu marido, que trabalha roça, e assim os mesmos ia passando pela vida.
Mas na ultima semana, La estava ela novamente em seu posto de trabalho, quando teve a infeliz noticia vinda do poder publico municipal. Que seus serviços, não seriam, mas de interesse da prefeitura municipal. E que todos os funcionários contratados seria demitidos naquele momento. Em cumprimentos a “justiça” do trabalho.
Mas que justiça e essa? Que pressiona o prefeito para demitir as pessoas, mas necessitadas, e essa mesma justiça em vez de obrigar o prefeito a fazer um concurso publico para regularizar a situação dos mesmos! Aceita a administração contratar uma empresa sabe-se La a quem pertence, para substituir os servidores?  E por essa e outras, que a cada dia as instituições brasileiras perdem a credibilidade junto à população.
Quer dizer que para a administração pouco importa o tempo de serviços prestados pelos funcionários?  Pra se ter uma idéia, tinha pessoas que trabalhava há, mas de (20 anos), e simplesmente os colocaram no olho da rua, sem lenço e sem documentos, Inventando a desculpa de quer funcionário publico não tem direito a nada. Será mesmo se não tem?

ELA MARIA, SEU ESPOSO RAIMUNDO, E SUA NETINHA
Os servidores começou a trabalhar para o município com a saúde muito boa, e hoje existem muitos doentes, alguns com seqüelas conseguidas dentro dos seus locais de trabalho.
Veja  algumas fotos,  Para mostrar as condições de moradia da ex-servidora municipal. Que ganhou do prefeito e da “justiça”, de presente de fim ano, o olho da rua,.sem direito e nada. Foi (14 anos) de sua vida jogada fora, agora a incerteza, e o medo do futuro ronda sua vida e de sua família, e também para dezenas de pessoas, que foi despachada para suas casas a “bem” do serviço publico.
--- ---