"MINHA CASA. MINHA VIDA" Dedicação do vereador Juscelino resulta em investimento de mais de 7 milhões de reais para construir 250 casas em Açailândia



"Quem se dedica faz a diferença. Estou trabalhando para dar o retorno aos eleitores que votaram em mim. Trabalho é a resposta". Com essa frase, o vereador Juscelino Oliveira (PSL) respondeu à reportagem como se sentia depois de ter sido destacado, como convidado de honra, para a assinatura do projeto "Minha Casa, Minha Vida", durante evento realizado na quinta-feira (10), em São Luís, na presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A atuação do vereador garantiu para Açailândia a construção de 250 casas, no valor de R$ 7.727.588,23. A obra terá início imediato e o contrato foi assinado pelo presidente Lula, o vereador Juscelino Oliveira e o superintendente regional da Caixa Econômica Federal, José Carlos Mendes Junior. Participaram como testemunhas da assinatura do contrato, a ministra Dilma Rousseff, a governadora Roseana Sarney e os ministros Márcio Fortes (Das Cidades) e Edison Lobão (Minas e Energia).

A participação do vereador Juscelino Oliveira para desenvolver o projeto e conquistar para Açailândia as 250 casas merece ser destacada pela obstinação e resistência. Açailândia não estava entre as cidades que seriam contempladas com as obras do projeto "Minha Casa, Minha Vida", faltava "um tal" PLHIS, de responsabilidade do Poder Executivo. PLHIS é a sigla do Plano Local de Habitação de Interesse Social, que habilita os municípios brasileiros junto ao Ministério das Cidades para receber investimentos que possam contemplar a população menos favorecida, a exemplo das unidades habitacionais. O vereador cobrou da tribuna, em mais de uma oportunidade, que o Executivo tomasse as providências necessárias para a elaboração do PLHIS, se propondo, inclusive, a colaborar. Foi ignorado pelo Executivo, com o prefeito Ildemar Gonçalves ignorando também a elaboração do Plano capaz de proporcionar aos mais carentes o sonho de ter sua casa própria. Até ontem, Açailândia não possuía o PLHIS.



Açailândia não possui Plano Local

de Habitação de Interesse Social

Insatisfeito e inconformado, o vereador Juscelino Oliveira foi buscar informações junto à superintendência regional da Caixa, onde foi orientado a procurar o apoio da governadora Roseana Sarney que poderia incluir Açailândia no projeto "Minha Casa, Minha Vida". Juscelino buscou, então, o apoio do deputado federal Waldir Maranhão (PP) e do deputado estadual Alberto Franco (PSDB), a quem deu apoio nas eleições de 2006. A iniciativa resultou em 29 viagens durante a estruturação do projeto das 250 casas. Desde a primeira audiência com a governadora, que Roseana Sarney deu apoio. "Devo destacar aqui o apoio da governadora Roseana Sarney, que desde a primeira hora demostrou sua sensibilidade e sua intenção de ajudar a população de Açailândia, como efetivamente ajudou. Sem ela, essa projeto não sairia. É preciso destacar aqui também o apoio dos deputados Waldir Maranhão e Alberto Franco". Além das 29 viagens a São Luís, outras 4 foram efetuadas a Brasília, onde foi recebido pelo ministro das Cidades, Márcio Fortes. Todas elas, bancadas com recursos próprios.



Assinatura de Contrato é reconhecimento

ao trabalho e gera empregos

Vereador de primeiro mandato, Juscelino Oliveira possui bons contatos, tanto na esfera estadual quanto federal, e é bom articulador político, tanto que na primeira gestão (2005-2008) do prefeito Ildemar Gonçalves foi um dos principais auxiliares da administração, elaborando projetos e buscando recursos, em São Luís e Brasília. Sua posição destacada e bem sucedida resultou na confiança da população que lhe elegeu vereador entre os mais votados na história de Açailândia.

"Estou feliz, muito feliz. Não é fácil ser vereador. Muita gente pensa que vereador não faz nada. Esse contrato, assinado pelas maiores autoridades do país, inclusive o presidente Lula e a governadora Roseana, mostra o contrário". Durante a fase de elaboração do projeto, o vereador encontrou resistências, com muitas forças trabalhando ao contrário para impedir sua concretização. "Tudo isso agora acabou. O que importa é que o contrato foi assinado e Açailândia terá 250 casas para beneficiar sua população", disse o vereador Juscelino Oliveira, acrescentando que para trabalhar é que foi eleito e é isso que está fazendo.

A construção das 250 casas, mais que reparar uma injustiça, ao impedir que a cidade com tantas famílias sem moradia ficasse excluída por falta de iniciativa do Poder Municipal de um dos maiores programas do governo Lula, resulta, além da questão social, na injeção de recursos na economia local, com os 7 milhões, 727 mil e 588 reais sendo utilizados na cidade para comprar cimento, telha e tijolo e demais materiais de construção, além de gerar muitos empregos.
Tecnologia do Blogger.