DAYANE LIMA NUTRICIONISTA

DAYANE LIMA NUTRICIONISTA

7 de abril de 2011

Lâmpada de LED movida a energia solar é alternativa para populações de baixa renda


A Nokero tem bateria interna e painéis solares, a lanterna ecológica possibilita utilizar a energia solar para iluminar áreas externas sem utilização de fios. / Imagem: Divulgação

 
De acordo com o Departamento de Energia dos Estados Unidos, aproximadamente dois bilhões de pessoas vivem sem energia elétrica em todo o mundo. Quando o sol se põe essas pessoas recorrem a fontes alternativas como, por exemplo, o querosene ou outros combustíveis fósseis, para terem iluminação.
Stephen Katsaros, sócio empreendedor, que inventou a lâmpada de energia solar espera trazer com essa ideia, energia limpa e segura para as pessoas pobres que vivem em países em desenvolvimento.
Com bateria interna e munida de painéis solares, a lanterna ecológica possibilita utilizar a energia solar para iluminar áreas externas sem utilização de fios. Ela não necessita de instalação e é super fácil de ser utilizada. Para carregá-la basta deixá-la ao sol, quando a bateria está completa ela possui autonomia de aproximadamente duas horas com uso contínuo.
Sua similaridade com uma lâmpada incandescente fica só na aparência (formato e tamanho), pois a Nokero, como foi chamada, é composta de painéis fotovoltaicos na parte exterior; e baterias e LEDs na parte interior.   Os cinco LEDs que compõe a lanterna têm sua iluminação comparada a 60 velas e utilizam pouquíssima bateria. Comparada às lâmpadas convencionais seu consumo aproximado é de 1/200 sendo, portanto, um ótimo recurso pra quem quer economizar energia elétrica e favorecer o meio ambiente com soluções ecológicas.
Segundo o fabricante um dia de exposição fornece duas horas de luz, mas se o tempo de exposição aumentar pode chegar a dobrar o tempo de duração da luz.
O querosene, que é uma das atuais fontes de energia em países de baixa renda, emite monóxido de carbono e outros poluentes. Conforme dados do Banco Mundial, respirar a fumaça da queima do querosene de um lampião é equivalente a fumar dois maços de cigarro por dia. “Quase um milhão de pessoas morre anualmente, vítimas de incêndios causados por lâmpadas de querosene”, diz Katsaros, que não leva em conta o número de queimaduras também relacionadas a isso.
O inventor criou o conceito em Janeiro deste ano e, quando a ideia começou a tomar forma de um produto real, ele abandonou o emprego para promovê-la. Segundo ele, a Nokero é utilizada por campistas, trilheiros, iluminação doméstica, escolas e entre outras coisas. Mas, para ele, o foco principal são os países em desenvolvimento e áreas de desastres naturais. Por isso, a entrega do material é voltada principalmente para essas regiões. A Nokero é fruto de parcerias com outros grupos e ONGs, que colaboraram para fazer com que essa nova solução de iluminação seja acessível àqueles que dependem de queima de querosene e outros combustíveis fósseis para ter luz, ajudando a colocar a lâmpada nas mãos daqueles que mais precisam.
O bulbo custa US$15, por isso ainda pode estar fora de alcance para muitos em países mais pobres, mas Katsaros diz que os preços serão significativamente reduzidos para encomendas em grande escala. Ele explicou também que o pagamento pode ser feito em até cinco meses, se o proprietário trocar a lâmpada a querosene pela Nokero. Mesmo assim, ele ainda tem como meta reduzir o custo para que os 2,8 bilhões de pessoas no mundo, que ganham menos de dois dólares por dia, tenham acesso a este recurso.