DAYANE LIMA NUTRICIONISTA

DAYANE LIMA NUTRICIONISTA

10 de novembro de 2016

USINA FLEX DE ETANOL A BASE DE BATATA-DOCE PODERÁ SER IMPLANTADA EM AÇAILÂNDIA, O PREFEITO JUSCELINO OLIVEIRA VAI ENCOMENDAR UM ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA.


Alternativa ecologicamente correta tem o propósito social de beneficiar a agricultura familiar

Açailândia - Buscando uma solução para diminuir os índices de desempregos, principalmente depois da venda da Cia. Siderúrgica Vale do Pindaré para a Suzano Papel e Celulose. O prefeito Juscelino Oliveira (PCdoB), vai encomendar um estudo de viabilidade técnica e ecônomica, visando à implantação de uma indústria de etanol a partir da batata-doce em Açailândia.


Para a implantação de um projeto dessa magnitude, o prefeito vai convidar especialistas no assunto, promover diversas audiências publica com todos os seguimentos da sociedade, tais como, associação comercial e industrial de Açailândia, sindicatos, pequenos agricultores, bancos, bem como o governo do estado do maranhão, para juntos, tentar viabilizar o projeto.

O Etanol Social tem apoio do governo federal e da (ANP) Agencia Nacional do Petróleo, e prioriza a produção em pequenas propriedades rurais, fortalecendo a agricultura familiar, descentralizando riqueza, ao contrário do que ocorre com a cana-de-açúcar. 

O prefeito Juscelino Oliveira pretende implantar o projeto em Açailândia para servir como alternativa econômica aos milhares de pequenos produtores rurais do município, além de alavancar o setor industrial. Trata-se de um projeto pioneiro na região.

“Vamos iniciar os estudos para implantar uma usina de etanol de batata-doce que dará uma excelente alternativa ao setor rural, ao mesmo tempo em que vai gerar empregos e renda para Açailândia", disse o prefeito.

Esse tipo de empreendimento não é novidade, uma vez que já existe esse tipo de negocio funcionando e gerando renda em outros estados. Os estudos também foram concluídos pela Fundação Universidade Federais do Tocantins (Unitins), visando à produção de etanol a partir do amido da batata-doce.

No Paraná, estudos foram realizados pelo Centro Paranaense de Referência em Agro ecologia (CPRA) e Bioex Etanol, entre outros órgãos. Em São Paulo, a CereAlcool também fez estudos sobre a destilação de etanol da batata.

 A conclusão é de que a batata-doce possui maior teor alcoólico que a cana-de-açúcar, que tem no vinhoto um resíduo poluente em potencial se não for corretamente utilizado na adubação. Já o resíduo da batata é usado na ração animal com 17% de proteína e bastante digestivo.

Outro apontamento da pesquisa é de que da batata-doce pode se extrair um álcool fino (que a cana não produz), muito utilizado nas indústrias farmacêutica e cosmética. 

Um detalhe importante é que a cultura da batata-doce tem o perfil da agricultura familiar, já que pode ser cultivada em pequenas propriedades rurais.

 “Ao contrário da cana-de-açúcar, que necessita de grandes áreas, centraliza riqueza nas mãos de poucos proprietários, a cultura da batata-doce, descentraliza riqueza porque utiliza a mão de obra familiar em pequenas propriedades", disse o prefeito Juscelino Oliveira.

No Paraná o assunto foi tema de debate nas comissões de Agricultura, Meio-Ambiente, Comércio e Turismo da Assembleia Legislativa em maio passado.

O prefeito Juscelino Oliveira trabalha para que Açailândia seja a pioneira na região na implantação de uma destilaria de etanol da hortaliça. "É um projeto prioritário, de grande alcance social e de grande viabilidade econômica", encerrou.

Gestor público, caso o senhor tenha interesse em implantar esse projeto em seu municipio, gentileza entrar em contato com o representante para o Maranhão:  Zap (99) 99122-7528 Falar com Nilton.