8 de fevereiro de 2017

Que país é esse?


Que país é esse? Onde a população é massacrada, onde a justiça se faz de “cega surda e muda”. Que país é esse? Onde o salario mínimo não dar para comprar uma cesta básica, onde se tem o combustível mais caro do mundo, onde se paga a energia mais cara. Que país é esse? Onde se paga as tarifas de telefones mais caras do mundo, e ninguém tem a quem recorrer. Que país é esse? Onde não existe segurança pública, onde os políticos ganha uma fortuna para não fazer nada, e mesmo assim ainda metem a mão nos cofres públicos.


Que país é esse?  Essa é a pergunta que todos se fazem.  Se antes tínhamos um governo corrupto e ladrão, que dilapidou sem piedade os cofres públicos, montando a maior e mais bem estruturada rede de corrupção brasileira, esse governo foi expulso do poder, e em seu lugar, assume outro governo que em vez de moralizar a já fragilizada maquina pública, se rodeia de gente corrupta, todos saqueadores de cofres publico.

Um governo fraco, medíocre, que não tem condições de sair às ruas, pois aonde vai é vaiado pela população. Um governo que entrou no poder pela janela da corrupção, deveria colocar entre seus auxiliares, pessoas no mínimo idôneas, pessoas técnicas, e se livrar de vez daqueles que sempre procuraram viver como saqueadores de cofres públicos.

O presidente Michel Temer, teve todas as chances de conseguir um mínimo de simpatia da população brasileira, em vez de procurar agir corretamente, atendendo os ensejos e procurando trazer um mínimo de esperança para a população brasileira, o presidente resolve seguir defendendo os corruptos, para poder se sustentar no cargo.

A nomeação do novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), mas uma vez demostra claramente que o governo não estar nem um pouco preocupado com a questão de seriedade na coisa pública. Mesmo a grande maioria da população pedindo a nomeação do juiz federal Sergio Moro, Temer ignorou a população, e resolveu colocar um amigo, e atual ministro como novo membro do supremo.

Não tem como dar certo, um país de políticos canalhas, uma justiça “surda cega e muda” onde os assaltantes de cofres públicos agem sem dó ou piedade, quando se trata de roubar e reprimir a população. E o pior de tudo, esses canalhas, assistem de camarote o Brasil ir literalmente ao fundo do poço. Essa crise que hoje vivemos tem nome, e o nome chama-se assalto aos cofres públicos.

Não tem como dar certo, uma corte máxima de justiça ter seus membros sendo indicados por políticos, pois se cria um ciclo vicioso, onde os membros do (STF) embora alguns tendo a força de vontade de fazer um trabalho digno e de forma imparcial, sempre vão prevalecer que o mesmo deva favores a quem o indicou para o cargo. Na pratica, os membros dos tribunais teria que ser eleitos para os cargos, assim como os juízes, que entra na carreira através de concurso publico.

Enquanto não se mudar essa realizada, a coisa só tende a piorar, e o povo vai sempre pagar o preço alto pela corrupção.



--- ---