3 de novembro de 2017

Promotoria instaura inquérito sobre superfaturamento de contrato em Itinga




Contrato entre a administração do tucano Lúcio Flávio e a Eco Planet é de mais de R$ 1,8 milhão.

A Promotoria de Itinga do Maranhão instaurou inquérito civil para apurar denúncia de superfaturamento de contrato e irregularidades num procedimento licitatório realizado pela administração do prefeito Lúcio Flávio (PSDB).

O inquérito foi instaurado no último dia 30, aos cuidados da promotora de Justiça Nara Thamyres Alencar.

De acordo com os autos, as supostas irregularidades foram encontradas na contratação de empresa de engenharia para execução de serviços integrantes do sistema de limpeza pública e implantação e manutenção de áreas verdes públicas inseridas no perímetro urbano do município, onde consagrou-se vencedora a empresa Eco Planet Empreendimentos Eireli - ME, antiga W G Transportes e Locações Eireli - ME.

O contrato foi fechado no início de março, com vigência de 12 meses, ao custo exato de R$ 1.881.461,40.

Criada em setembro de 2014, a Eco Planet está registrada, segundo consulta ao site da Receita Federal, no nome do paraense Warlison Goncalves Martins, com escritório no Residencial Tropical, em Açailândia. No contrato com a Prefeitura Municipal de Itinga, porém, quem assina é o engenheiro civil João Carlos Gava Júnior. Ele foi contratado pela Eco Planet semanas antes da celebração do contrato com a administração municipal.
--- ---