23 de outubro de 2017

Paulo Marinho: Um preso político!

A prisão do ex-prefeito Paulo Marinho, e forma como a imprensa alugada pelo Palácio dos Leões tratou o assunto, inclusive tripudiando sobre a família do “preso político”, pode ter sido um tiro no pé com duas consequências a curto e médio prazo, quais sejam: (I) fazer de Paulo Marinho Júnior um dos deputados federais mais votado do Maranhão em 2018; e (II) comprometer a reeleição do prefeito Fábio Gentil em 2020.


A prisão do ex-prefeito e ex-deputado federal Paulo Marinho vai muito além do descuido com as suas responsabilidades pessoais em função de relações afetivas mal sucedidas.
No que era para se limitar a um problema judicial a ser resolvido nas varas de Família, a prisão de Paulo Marinho, ocorrida na manhã da última sexta-feira, 20, acabou ganhando conotação política pela forma e circunstância que aconteceu. Senão vejamos.
Segundo informações que chegaram ao Blog do Robert Lobato, sequer havia mandado de prisão para Paulo Marinho, o que tinha, a princípio, era uma intimação para que pagasse uma pensão alimentícia.
Também consta que o diretor do Central de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ) de Caxias, delegado Maurício Filho, tido como excelente profissional, técnico sério e competente, recebeu ordens superiores para transferir Paulo Marinho “o mais rápido possível” para o presídio de Pedrinhas, em São Luis, atropelando, inclusive, uma determinação do juízo de Caxias para que Paulo Marinho ficasse sob custódia no município.
A ser verdade todas essas informações, fica evidente que o Maranhão passa por um inaceitável e inadmissível “estado policialesco” onde qualquer cidadão, principalmente os opositores dos comunistas, pode ser vítima de perseguição e de prisões arbitrárias. Aliás, não se pode esquecer a prisão injustificável do ex-chefe da Casa Civil do governo Roseana Sarney, João Abreu.
Muito preocupante tudo isso!
De qualquer forma, a prisão de Paulo Marinho, e forma como a imprensa alugada pelo Palácio dos Leões tratou o assunto, inclusive tripudiando sobre a família do “preso político”, pode ter sido um tiro no pé com duas consequências a curto e médio prazo, quais sejam: (I) fazer de Paulo Marinho Júnior um dos deputados federais mais votado do Maranhão em 2018; e (II) comprometer a reeleição do prefeito Fábio Gentil em 2020.
É aguardar e conferir!
PS: A prisão de Paulo Marinho foi na sexta,20, pela manhã, e à noite o prefeito de Caxias, Fábio Gentil (PRB), estava na convenção do PCdoB. Será que o governo comunistas usou essa prisão para pressionar o prefeito se afastar dos Marinho?
Fonte: blogdorobertlobato
--- ---