MARANHÃO TEM SITUAÇÃO CRÍTICA EM TRATAMENTO DE ESGOTO

Levantamento da ABCON com base em números do SNIS demonstra

que estado trata apenas 13,45% do esgoto produzido

O percentual do esgoto tratado em relação à água consumida no Maranhão é de 13,45%. O índice é inferior ao do Rio de Janeiro, onde apenas 31,33% do esgoto gerado é tratado. A falta de tratamento de esgoto é apontada como o principal fator da crise no abastecimento de água que afeta a região metropolitana do Rio de Janeiro.

Um levantamento da ABCON - associação das concessões privadas de saneamento -, com base nos números do SNIS 2019 (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento), revela que, além do Maranhão, mais seis estados estão abaixo da linha de 20% de esgoto tratado: Acre, Amapá, Piauí, Alagoas, Pará e Rondônia.

Estados com menos de 20% de tratamento de esgoto*:

Acre - 18,78%
Alagoas - 16,18%
Amapá - 14,8%
Maranhão - 13,45%
Pará - 8,02%
Piauí - 13,79%
Rondônia - 9,55%

Índice de esgoto tratado referido à água consumida. Fonte: SNIS 2018 (divulgado em dezembro de 2019)

Novo marco legal vai acelerar investimentos no setor - Para a ABCON, a aprovação do novo marco legal para o saneamento, que está em discussão no Senado (PL 4162/19), será fundamental para acelerar os investimentos no setor e ampliar a cobertura de tratamento de esgoto.

"O Brasil precisa de R﹩ 30 bilhões por ano para universalizar os serviços de água e esgoto, mas só investimos, na média, pouco mais de R﹩ 10 bilhões. É esse o nó que o novo marco do saneamento deverá desatar", comenta o diretor executivo da ABCON, Percy Soares Neto.

Nenhum comentário

SEJA BEM VINDO, PARTICIPEM E COMENTE A VONTADE

Tecnologia do Blogger.