Bolsonaro zera imposto no Maranhão, mas Brandão continua cobrando mais de 30% dos combustíveis


Consumidores têm pedido o cupom fiscal em postos de São Luís para comprovar a incidência do ICMS mais caro do país na hora de abastecer o veículo; gasolina no estado poderia ser vendida, hoje, a R$ 5,75, mas o governador-tampão se recusa a diminuir tributos


Análise da notícia

Consumidores maranhenses têm pedido os cupons e notas fiscais na hora de abastecer o carro em São Luís para entender o que estão pagando em impostos pela gasolina, óleo diesel e etanol no estado.



Para surpresa destes motoristas, os impostos federais estão zerados, o que resultou na queda do preço dos combustíveis; mas o governo Carlos Brandão (PSB) continua cobrando 30,5% de ICMS.

Em outras palavras, mais de 1/3 do valor da nota da gasolina vai abastecer os cofres do Palácio dos Leões.



Projeções de especialistas apontam que o preço da gasolina poderia baixar a R$ 5,75 em São Luís se Brandão baixasse a alíquota do ICMS para 18%, como manda a lei aprovada no Congresso Nacional.

Mas o governador-tampão recusa-se a cortar o imposto


Com o corte a zero dos impostos federais, garantido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), a gasolina comum chegou no início da semana em São Luís a R$ 6,48 por litro; um carro que abasteceu na terça-feira, 5, com 44,2 litros pagou R$ 287,00.

Desse valor, Brandão levou nada menos que R$ 89,26.

O governador-tampão se recusa a baixar o ICMS e tenta empurrar a questão com a barriga até as eleições; para isso, inventou um Projeto de Lei à Assembleia Legislativa, que deve esperar posição do Supremo Tribunal Federal antes de por a proposta em votação.

E assim, o maranhense vai continuar pagando a gasolina mais cara do país.

Enquanto Brandão faz campanha normalmente…

Fonte:marcoaureliodeca

Nenhum comentário

SEJA BEM VINDO, PARTICIPEM E COMENTE A VONTADE

Tecnologia do Blogger.